A Cor da Saudade - Rubens Alves





Era uma vez uma menina que tinha um pássaro encantado.
Ele era encantado por duas razões: não vivia em gaiolas, vivia solto e vinha quando queria, quando sentia saudades...

Sempre que voltava, suas penas tinham cores diferentes, as cores dos lugares por onde tinha voado.
Certa vez, voltou com penas imaculadamente brancas e contou histórias de montanhas cobertas de neve.
Outra vez, suas penas estavam vermelhas e contou histórias de desertos incendiados pelo sol.
Era grande a felicidade quando eles estavam juntos.

Mas, sempre chegava a hora do pássaro partir...
A menina chorava e implorava:
- Por favor, não vá. Terei saudades, vou chorar.
- Eu também terei saudades - dizia o pássaro - mas vou lhe contar um segredo! Eu só sou encantado por causa da saudade. É ela que faz com que minhas penas fiquem bonitas... senão você deixará de me amar.

E partiu.
A menina, sozinha, chorava.
Uma certa noite ela teve uma ideia: e se o pássaro não partir? Seremos felizes para sempre! Para ele ficar, basta que eu o prenda numa gaiola.
E assim o fez.

A menina comprou uma gaiola de prata, a mais linda que encontrou.
Quando o pássaro voltou, eles se abraçaram, ele contou histórias e adormeceu.
A menina aproveitou o seu sono e o engaiolou.

Quando o pássaro acordou deu um grito de dor.
- Ah ! O que você fez? Quebrou o encanto. Minhas penas ficarão feias e eu me esquecerei das histórias. Sem a saudade, o amor irá embora...
A menina não acreditou... achou que ele se acostumaria.

Mas, não foi isso o que aconteceu. Caíram as plumas e as penas transformaram-se em um cinzento triste.
Não era mais aquele o pássaro que ela tanto amava...
Até que ela não aguentou mais e abriu a porta da gaiola.
- Pode ir, pássaro - disse - volte quando você quiser...
- Obrigado - disse o pássaro - irei e voltarei quando ficar encantado de novo. Você sabe, ficarei encantado de novo quando a saudade voltar dentro de mim e dentro de você.

Quantas vezes aprisionamos a quem amamos, pensando que estamos fazendo o melhor?
Pense... deixar livre é uma forma singela de ter...

Direcione o seu amor não para a prisão e sim para a conquista, sempre.

Sopre para Voar

Fontes:

Alguém? - Ju Fuzetto

Imagem Edna Andrade

Preciso saber se os passos largos chegam primeiro ao destino, se existe tempo bom depois da tempestade e se a euforia é mesmo essa doida varrida. Eu preciso saber onde é que a gente esqueceu a fé, preciso saber o caminho de volta pra casa. Alguém, por favor, me guia, porque estou cega de tantas mentiras. Alguém?


Ju Fuzetto

Fontes:



Feliz aniversário Elaine!!



Tenho ótimas lembranças da infância e adolescência, fui criada livre sem muitas restrições e regras. Mas, muito flexíveis para não impedir que vivêssemos, mas também para sermos leais aos meus pais.  

Sempre tive acesso a tudo, colégios caros, amigos em casa e dormir em casas de amigos. Feriado nem pensar em ficar em casa; era a morte pra mim. Minha mãe e meu pai sempre foram cultos e me transmitiram cultura por osmose. Os livros eram montanhas, adoro relembrar das musica que meu pai assobiava ou minha mãe cantava pela casa. Eles foram os responsáveis por que aprendi e ensino hoje aos meus filhos. 
Em casamentos a mãe da noiva chora, no meu quem chorou foi meu pai. Tudo que acontece comigo é diferente. Tive meu primeiro filho no limite da idade, é divino ser mãe! Minha filha, Deus me deu de presente de aniversário, já que ela nasceu quinze dias após meu aniversário, é um anjo na minha vida e Raphael é tudo que uma mãe pode sonhar. Sou muita grata a Deus por ter podido ser mãe.

Mas a vida marca também com cicatrizes profundas, e elas doem muito e temos que seguir em frente. Hoje vivo a com a certeza que há uma luz no fim do túnel. Passei momentos de aflição e tristeza mas, hoje com a certeza que estou quase conseguindo viver a plenitude da vida. 

Feliz aniversário Elaine!!



O Paradoxo do Nosso Tempo - Bob Moorehead



Nós bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente. 
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores. Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos. 
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos. 
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias. 
Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas". 
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.
Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre. Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado.

Bob Moorehead , publicado no livro 'Words Aptly Spoken' em 1995.

Fonte:
http://pensador.uol.com.br/frase/MTE1MTAz/ texto
http://gracindagaspar.empowernetwork.com/ imagem

Milágrimas - Alice Ruiz

“Georgia Theologou” - artista grega


em caso de dor, ponha gelo, mude o corte de cabelo
mude como o modelo
vá ao cinema, dê um sorriso, ainda que amarelo
esqueça seu cotovelo...
se amargo for já ter sido, troque já esse vestido
troque o padrão do tecido
saia do sério, deixe os critérios, siga todos os sentidos
faça fazer sentido
a cada mil lágrimas sai um milagre
caso de tristeza, vire a mesa, coma só a sobremesa
coma somente a cereja
jogue para cima, faça cena, cante as rimas de um poema
sofra apenas, viva apenas
sendo só fissura, ou loucura, quem sabe casando cura
ninguém sabe o que procura
faça uma novena, reze um terço, caia fora do contexto
invente seu endereço
a cada milágrimas sai um milagre
mas se, apesar de banal,
chorar for inevitável
sinta o gosto do sal, do sal, do sal
sinta o gosto do sal
gota a gota, uma a uma
duas, três, dez, cem, mil lágrimas
sinta o milagre
a cada mil lágrimas sai um milagre
a cada milágrimas.

Fones:


P da vida - Lucio Dalla - Versão: Edgard Poças



Tô P da vida
Tô vendo a gente tão pra baixo
Num baixo astral, num cambalacho
E muito pouco amor à vida

E o mundo em volta da ferida
Em transes loucos, transas nossas
De mãos atadas vistas grossas
É muito pouco amor à vida

Tão pondo fogo no planeta
E quem não tá vira careta
A fina flor do preconceito
De cor, de raça, de sujeito
Isso tem jeito! Isso tem jeito!

We Are the World lá nas paradas
E gerações desperdiçadas
Em tantas lutas sem sentido
Fecha as cortinas do passado
Mundo grilado, dolorido
Que se conforma

Lances, jogadas ensaiadas
Nas mesas das Nações Unidas
Azucrinando nossas vidas
Jogos de dados combinados
Dados marcados

Mas não me sinto derrotado
Quem vai me pôr nocauteado
A esperança é uma música
Canta essa música, nossa música, é nossa música
Mas isso quase não é nada
Tem que enfrentar essa parada
E tem que pôr a mão na terra
Eu tô na guerra pela vida
Só pela vida
Viva a vida! 

Fontes:

Amor de gente grande é assim... - Rosana Braga

Pinturas de Tomasz Alen Kopera

Amor de corpo inteiro. Um amor que transcende, transpira, transborda.
Amor com mãos e pés. Com dedos, braços, pernas, barriga, pele e abraços.

Um amor que surpreende, sem nada inventar, sem precisar exagerar, sem ter de sempre entender. Simplesmente ser... preencher, existir!
Amor que não investiga, que não desconfia, que não acusa.

Amor de palavras, mas também de silêncio. Um silêncio que aquieta o coração, que acaricia a alma e alivia as dores! Amor que esvazia, que abre espaço, que permite.

Amor sem regras, sem pressões, sem chantagens. Amor que faz crescer.
Amor de gente grande, de coração gigante, de alma transparente.
Amor que permanece. De mim para mim, de mim para você, de você para mim.

Amor que invade respeitando, que adentra acariciando, que ocupa com leveza. Amor sem ego. Que acolhe, perdoa, reconhece.

Amor que desconhece para conhecer, que nunca lembra porque não esquece! Amor que é... assim, sem mais nem menos, sem eira nem beira, sem quê nem porquê.

Simplesmente simples, despretensioso, descontraído, desmedido. De uma simplicidade tão óbvia que arrasta, que envolve, que derrete.
De uma fluidez tão liquida que escorre, que desliza, que não cristaliza.

Amor que não se pede, que não se dá, porque já é! Para nunca precisar procurar, para nunca correr o risco de encontrar, porque já está! E o que quer que ainda possa surgir... besteira!

Fique, permita-se, comprometa-se! Simplesmente amor...

Você consegue?

Rosana Braga

Fontes:


Indomável - Mell Glitter


Não...

Eu não sei domar
esta minha rebeldia,
este meu lado anarquista,
este mar que corre em mim...

Exagero no perfume,
na falta de modos,
na sinceridade
sem fim...

Sou sujeita às marés,
indisciplinada,
louca,
desenfreada...

Sou movida
às tentações 
da madrugada!

Por uma coisa tola
eu me entrego toda
e amanheço
procurando
explicação
com cara
de quem
não tem a mínima ideia
aonde
perdeu
a razão!

Mell Glitter


Fonte:



Calem a boca, nordestinos! - José Barbosa Junior


Praia de Porto de Galinhas, PE, Brasil

Os nordestinos devem ficar quietos! Cale a boca, povo do Nordeste! Que coisas boas vocês têm pra oferecer ao resto do país? Ou vocês pensam que são os bons só porque deram à literatura brasileira nomes como o do alagoano Graciliano Ramos, dos paraibanos José Lins do Rego e Ariano Suassuna, dos pernambucanos João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ou então dos cearenses José de Alencar e a mara...vilhosa Rachel de Queiroz? 

Só porque o Maranhão nos deu Gonçalves Dias, Aluisio Azevedo, Arthur Azevedo, Ferreira Gullar, José Louzeiro e Josué Montello, e o Ceará nos presenteou com José de Alencar e Patativa do Assaré e a Bahia em seus encantos nos deu como herança Jorge Amado, vocês pensam que podem tudo?
Isso sem falar no humor brasileiro, de quem sugamos de vocês os talentos do genial Chico Anysio, do eterno trapalhão Renato Aragão, de Tom Cavalcante e até mesmo do palhaço Tiririca, que foi eleito o deputado federal mais votado pelos… pasmem… PAULISTAS!!!

E já que está na moda o cinema brasileiro, ainda poderia falar de atores como os cearenses José Wilker, Luiza Tomé, Milton Moraes e Emiliano Queiróz, o inesquecível Dirceu Borboleta, ou ainda do paraibano José Dumont ou de Marco Nanini, pernambucano. Ah! E ainda os baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura, que será eternizado pelo “carioca” Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, 1 e 2.

Música? Não, vocês nordestinos não poderiam ter coisa boa a nos oferecer, povo analfabeto e sem cultura… Ou pensam que teremos que aceitar vocês por causa da aterradora simplicidade e majestade de Luiz Gonzaga, o rei do baião? Ou das lindas canções de Nando Cordel e dos seus conterrâneos pernambucanos Alceu Valença, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Lenine? Isso sem falar nos paraibanos Zé e Elba Ramalho e do cearense Fagner… E Não poderia deixar de lembrar também da genial família Caymmi e suas melodias doces e baianas a embalar dias e noites repletas de poesia…

Ah! Nordestinos… 
Além de tudo isso, vocês ainda resistiram à escravatura? E foi daí que nasceu o mais famoso quilombo, símbolo da resistência dos negros á força opressora do branco que sabe o que é melhor para o nosso país? Por que vocês foram nos dar Zumbi dos Palmares? Só para marcar mais um ponto na sofrida e linda história do seu povo?

Minha mensagem então é essa: – Calem a boca, nordestinos!

Calem a boca, porque vocês não precisam se rebaixar e tentar responder a tantos absurdos de gente que não entende o que é, mesmo sendo abandonado por tantos anos pelo próprio país, vocês tirarem tanta beleza e poesia das mãos calejadas e das peles ressecadas de sol a sol.

Calem a boca, e deixem quem não tem nada pra dizer jogar suas palavras ao vento. Não deixem que isso os tire de sua posição majestosa na construção desse povo maravilhoso, de tantas cores, sotaques, religiões e gentes.

Calem a boca, porque a história desse país responderá por si mesma a importância e a contribuição que vocês nos legaram, seja na literatura, na música, nas artes cênicas ou em quaisquer situações em que a força do seu povo falou mais alto e fez valer a máxima do escritor: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte!”

Que o Deus de todos os povos, raças, tribos e nações, os abençoe, queridos irmãos nordestinos!!!!!

Fontes:



Não, não é Cansaço...


Não, não é cansaço... 
É uma quantidade de desilusão
Que se me entranha na espécie de pensar,
E um domingo às avessas
Do sentimento,
Um feriado passado no abismo...

Não, cansaço não é...
É eu estar existindo
E também o mundo,
Com tudo aquilo que contém,
Como tudo aquilo que nele se desdobra
E afinal é a mesma coisa variada em cópias iguais.

Não. Cansaço por quê?
É uma sensação abstrata
Da vida concreta —
Qualquer coisa como um grito
Por dar,
Qualquer coisa como uma angústia
Por sofrer,
Ou por sofrer completamente,
Ou por sofrer como...
Sim, ou por sofrer como...
Isso mesmo, como...

Como quê?...
Se soubesse, não haveria em mim este falso cansaço.

(Ai, cegos que cantam na rua,
Que formidável realejo
Que é a guitarra de um, e a viola do outro, e a voz dela!)

Porque oiço, vejo.
Confesso: é cansaço!...



Álvaro de Campos, in "Poemas" (Heterônimo de Fernando Pessoa)



 
Fontes:

Mãezinha querida - Antonio Marcos Pires



Mãezinha querida, 
fique ao meu lado, segurando minhas mãos, 
como você sempre faz, 
quando eu não souber qual caminho seguir.

Mãezinha querida, 
limpa o suor da minha face quando eu, 
cansada de tanto trabalhar, 
estiver sem forças para continuar.

Mãezinha querida, 
canta pra mim aquela canção que você cantava quando eu era bebê, 
antes de dormir, 
e me acalmava.


Mãezinha querida, 
fique ao meu lado, segurando minhas mãos, 
como você sempre faz, 
quando eu não souber qual caminho seguir.


Mãezinha querida, 
limpa o suor da minha face quando eu, 
cansada de tanto trabalhar, 
estiver sem forças para continuar.

Mãezinha querida, 
canta pra mim aquela canção que você cantava quando eu era bebê, 
antes de dormir, 
e me acalmava.

Mãezinha querida, 
fique ao meu lado quando eu estiver com medo do escuro.

Mãezinha querida, 
deixa eu descansar no seu colo confortável 
quando meus pés estiverem doendo de tanto eu andar 
pelos longos caminhos da estrada.

Mãezinha querida, 
abraça-me com seus braços quentes e fortes, 
quando na manhã nublada eu tiver preguiça de me levantar.


Mãezinha querida, 
me dê uma palavra amiga, um consolo, um conselho, 
quando eu precisar de um bálsamo para acreditar e 
seguir em frente diante de tanta incerteza.

Mãezinha querida, 
eu quero o seu colo no embalo da rede, 
para que eu adormeça com toda a certeza 
de que o mundo ainda será belo quando eu acordar.

Mãezinha querida, 
saiba do fundo do meu coração, 
que é o seu amor imenso, que todos os dias, 
me faz acreditar que o mundo sempre há de ser melhor.

Por isso hoje eu digo, com os pulmões cheios de ar: 
Mãezinha querida Feliz Aniversário




Antonio Marcos Pires

Fonte:


Hoje é dia de Spock




Bem, hoje é um dia especial para mim. Hoje é dia de Spock eu não deixaria passar em braco o dia de meu anjo de quatro patas. Só quem tem animais e os ama de verdade entende certos sacrifícios que às vezes precisam ser feitos por eles. Só quem sabe o que é estar mal e o bichinho elétrico chegar perto de você super mansinho só pra te acalmar, sabe o que é amor incondicional.Ele sempre está ao meu lado sempre que eu precisar. Ali, alegre, língua de fora, sempre disponível, e sem pedir nada em troca. Afeto sem interesse, genuíno, que de fato não tem preço. E nesse dia onde meu corpo arde de dor e cansaço, posso dizer de boca cheia que nessa casa pode estar faltando grana, comida, ou qualquer outro item, mas de sobra tem AMOR, que não enche a barriga, mas preenche a alma e conforta, dá energia pra seguir adiante e superar as dificuldades. Ele me faz querer continuar acreditando em um dia após o outro, e que as coisas podem sim melhorar. Então parabéns meu filhote e que você fique conosco por muito tempo e muita s felicidades. Eu te amo muito.


Elaine Crespo

Relação entre Casamento e Dirigir!



Parece não ter nada uma coisa com a outra, mais existe uma certa reação entre casamento e dirigir. Como a vida ele é feito de escolhas e atitudes pensadas, pois se ela for precipitada pode acabar num acidente com duas pessoas muito feridas. Pois amar é importante, mas a escolha da pessoa certa também é muito importante. Não que eu ache que podemos escolher por quem se apaixonar, mas podemos medir até onde onde este amor sobreviverá a um relacionamento cheio de diferenças. Porque o casamento e/ou relacionamento entre duas pessoas pessoa não sobrevive apenas de sexo e amor, pois tudo isto por mais que seja importante não assegura uma boa relação e sim o companheirismo e cumplicidade. Então por conta destas divagações resolvi fazer um post sobre relacionamento amoroso.

Quando estamos apaixonados e somos correspondidos o mundo fica cor de rosa. E este relacionamento que no começo mais parece um conto de fadas, vai se modificando com o tempo e a convivência. Estive pensando muito nisto estes dias. Meu casamento durou 25 anos e mesmo com com amor, nem tudo são flores durante todo o percurso que seguimos juntos. Tiveram espinhos e são os espinhos que nós fazem questionar se esta é a pessoa que sonhamos e assim descobrimos se vale ou não a pena continuar este caminho. Cada pessoa é um indivíduo e viver a dois não é fácil e com o tempo o brilho diminui porque passamos a nos conhecer de verdade. E é ai que o relacionamento segue ou acaba.

Por isto como dirigir  devemos procurar o melhor caminho a seguir, pois ele é que vai determina se tudo terminara num grande desastre ou num lindo final feliz. E por falar em dirigir eu detesto mais adoro amar e ser amada.(risos)


Elaine Crespo

Verdade Chinesa - Gilson e Carlos Colla


Era só isso que eu queria da vida
Uma cerveja, uma ilusão atrevida
Que me dissesse uma verdade chinesa
Com uma intenção de um beijo doce na boca

A tarde cai, noite levanta a magia
Quem sabe a gente vai se ver outro dia?
Quem sabe o sonho vai ficar na conversa?
Quem sabe até a vida pague essa promessa?

Muita coisa a gente faz
Seguindo o caminho
Que o mundo traçou
Seguindo a cartilha
Que alguém ensinou
Seguindo a receita
Da vida normal,
Mas o que é vida afinal?

Será que é fazer
O que o mestre mandou?
É comer o pão
Que o diabo amassou
Perdendo da vida
O que tem de melhor?

Senta, se acomoda
À vontade, tá em casa
Toma um copo, dá um tempo
Que a tristeza vai passar
Deixa pra amanhã
Tem muito tempo
O que vale é o sentimento
E o amor que a gente
Tem no coração

Fontes:


A loucura, vez em quando, é fundamental! - Por: Ruth Borges



Hospício lotado, por favor, não insistir! Não há vagas para a normalidade, só entra quem sabe voar. A loucura nos propõe viver dias de fé e liberdade, a respirar relaxados, quando estamos cansados de nos martirizar por tudo.

Ah, como são admiráveis os que topam viver com uma boa dose de loucura, os que se jogam na pista de dança, os descabelados, os que vivem as verdades que falam, os que cantam músicas com a letra errada e os que não brincam de pique-esconde com os sentimentos.

É de se encantar os que não medem encanto, que se divertem em dias frios, que gargalham alto, os imperfeitos conscientes, os felizes do jeito que são, os que ardem de vontade, os que cortam e pintam o cabelo da cor que bem gostam.

É de arrebatar a alma gente destemida, gente tesão, que não se contenta só com a primeira lambida no sorvete, que escreve poemas sem métrica, que se aventura navegar no amor só com uma jangada.

Maravilha mesmo é gente que pode ser o que quiser, que topa ser do jeito que o peito manda, gente que toca tambor dentro da gente. São fascinantes os desvairados, os intensos, os imensos, gente grande, gente universo.

O que há de errado com o fato de estarmos felizes, mesmo que seja uma alegria a qual só nós enxergamos? Somos permissivos demais com as exigências do normal e enquadramentos externos, essas que quando inúteis, desligam as conexões com o que há de mais urgente e precioso dentro da gente. Podemos desconfiar de nossa insanidade, para, quem sabe, encontrarmos um retrato mais fiel de quem de fato somos — a razão dos loucos conscientes mora bem perto do coração. E é de lá que derramam momentos desarmados, encontrados e realmente felizes.

“Sim, você é louco, louquinho, mas vou lhe contar um segredo: as melhores pessoas são assim!” Gosto mesmo é de gente maluca, de gente “Alice no País das Maravilhas”, porque chega uma hora que nos cansamos de ser loucos assim sozinhos — apenas quando ninguém tá vendo. O mundo, às vezes, é meio cão e nós fugimos para a loucura tentando escapar de suas mordidas, pois é ela o pretexto dos gênios, dos autênticos, dos que caminham com a alma na mão.

Desculpem-me os sãos, mas a loucura, vez em quando, é fundamental.


Fontes:

Amor que a gente guarda, estraga. - Taíla Quadros



Amor que a gente guarda, estraga. Sentimento que a gente esconde embolora, murcha e seca.

Bom é demonstrar no agora o que a gente sente, pois esse é o momento que importa. O que fazemos hoje vai construir o que seremos amanhã. A nossa vida é feita do melhor das alegrias e do que aprendemos com as pedras no caminho.

Amor tem graça, cor e cheiro. Feliz daquele que sabe aproveitar todas as sensações que esse sentimento nos traz. Porque, medo do que vai acontecer daqui para a frente a gente sempre tem, mas não é isso que deve nos prender ao passado ou nos deixar estagnados aonde estamos. Podemos transformar o nosso medo em impulso. Transformá-lo naquela força que nos leva adiante que nos faz enfrentar tudo o que já conhecemos para investir em algo novo. Em algo que ainda não experimentamos. Devemos transformar o nosso medo em coragem.

Aproveite o frio na barriga que chega quando você está prestes a fazer algo importante, que te deixa nervoso, faz parte da graça de todo esse enrosco chamado vida. Quem consegue viver sem sentir nada de especial? Quem aguenta ficar todos os dias na mesma rotina, sem ter nenhuma novidade ou sem fazer algo que mexe com você?

Não se deixe vencer pela preguiça. Cultive os sentimentos bons que você sente. Demonstre-os para quem você gosta. Invista. Corra. Pegue impulso no seu medo e se jogue com tudo. Cada tombo é uma experiência e cada acerto só vem após termos tentado muito.

Não espere que a sorte venha bater à sua porta e lhe entregue a chave da porta da felicidade. Vá atrás. Crie a sua própria chave e experimente até conseguir acertar a fechadura. Nem sempre é de primeira, mas aproveite o caminho, divirta-se, encontre as parcerias ideais para te acompanhar nessa jornada e vá sempre em frente. O mundo está cheio de coisas a descobrir.




Fontes:
http://www.sabiaspalavras.com/amor-que-a-gente-guarda/ texto
www.pinterest.com/imagem

Eu gosto ..., de lua... - Oswaldo Montenegro


Eu gosto de andar pela rua, bater papo, de lua e de amigo engraçado.
Eu gosto do volume, do perfume, do ciúme, do desvelo e de abraço apertado.
Eu gosto de artistas diversos de crianças de berço e do som do atchim.
Tem gente, muita gente que eu gosto, que eu quase aposto que não gosta de mim.
Eu gosto de quem sempre acredita a violência é maldita e já foi longe demais.
Eu gosto de inventar melodia, da palavra poesia e de palavra com til.
Eu gosto é de beijo na boca de cantora bem rouca e de morar no Brasil.
Eu gosto assim de quem é eterno de quem é moderno e de quem não quer ser.
Eu gosto de varar madrugada, de quem conta piada e não consegue entender.
Eu gosto de quem quer dar ajuda e acredita que muda o que não anda legal.
Eu gosto é de ver coisa rara.
A verdade na cara é do que gosto mais.
Eu gosto porque assim vale a pena, a nossa vida é pequena e tá guardada em cristais.
Eu gosto é que Deus cante em tudo e que não fique mudo morto em mil catedrais.

Oswaldo Montenegro

Fontes:

É duro ter coração mole - Alice Ruiz



por favor
não me aperte tanto assim
tenha cuidado, pega leve
olha onde pisa
isso é meu coração
meu ganha-pão
instrumento de trabalho,
meio de vida, profissão
meu arroz com feijão
meu passaporte
para qualquer parte
para qualquer arte
não machuque esse meu coração
preciso dele
para me levar a Marte
sem sair do chão
não me aperte
não machuque
tome cuidado
eu vivo disso
poesia, sonhos
e outras canções
sem emoção
morro de fome
sinto muito
mas não há nada
que eu possa fazer
sem coração


Alice Ruiz


Fontes:




Carrego seu coração - E. E. Cummings




Eu Carrego seu coração comigo
(Eu o carrego no meu coração)
Eu nunca estou sem ele
(onde quer que eu vá, você vai, minha querida;
e o que quer que eu faça sozinho, eu faço por você, minha querida)

Eu não temo o destino
(porque você é o meu destino, minha doçura)
Eu não quero o mundo por mais belo que seja
Porque você é meu mundo, minha verdade.
Este é o maior dos segredos que ninguém sabe. 

(Você é a raiz da raiz, e o botão do botão
e o céu do céu de uma árvore chamada vida;
que cresce mais alta do que a alma pode esperar
ou a mente pode esconder.
Este é o milagre que distancia as estrelas

Eu Carrego seu coração
(carrego no meu coração)


E. E. Cummings

Fontes:

Rock in Rio 85 eu fui!!






O Rock in Rio é um festival de música idealizado pelo empresário brasileiro Roberto Medina e realizado pela primeira vez em 1985. O Rock in Rio foi realizado pela primeira vez na cidade do Rio de Janeiro, Brasil entre 11 e 20 de janeiro de 1985 em área especialmente construída para receber o evento. O local, um terreno de 250 mil metros quadrados que fica na Barra da Tijuca, na divisa com o bairro de Jacarepaguá, ficou conhecido como "Cidade do Rock" e contava com o maior palco do mundo já construído até então: com 5 mil metros quadrados de área, além de dois imensos fast foods, dois shopping centers com 50 lojas, dois centros de atendimento médico e uma grande infra-estrutura para atender a quase 1,5 milhão de pessoas - o equivalente a cinco Woodstocks - que freqüentaram o evento.

A grande fama do evento deveu-se ao fato de que, até sua realização, as grandes estrelas da música internacional não costumavam visitar a América do Sul, pelo que o público local tinha ali a primeira oportunidade de ver de perto os ídolos do rock e do pop internacionais. Logo depois do fim do Rock In Rio, a "Cidade do Rock" foi demolida por ordem do então governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola.

Segue abaixo a programação de cada um dos dias do festival, em sua primeira edição, no Rio de Janeiro, em 1985:

11 de Janeiro de 1985

300 mil pessoas

Queen
Iron Maiden
Whitesnake
Baby Consuelo e Pepeu Gomes
Erasmo Carlos
Ney Matogrosso

12 de Janeiro de 1985

250 mil pessoas

George Benson
James Taylor
Al Jarreau
Gilberto Gil
Elba Ramalho
Ivan Lins

13 de Janeiro de 1985

90 mil pessoas

Rod Stewart
Go Go's
Nina Hagen
Blitz
Lulu Santos
Os Paralamas do Sucesso

14 de Janeiro de 1985

30 mil pessoas

James Taylor
George Benson
Alceu Valença
Moraes Moreira

15 de Janeiro de 1985

50 mil pessoas

AC/DC
Scorpions
Barão Vermelho
Eduardo Dusek
Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens

16 de Janeiro de 1985

40 mil pessoas

Rod Stewart
Ozzy Osbourne
Rita Lee
Moraes Moreira
Os Paralamas do Sucesso

17 de Janeiro de 1985

20 mil pessoas

Yes
Al Jarreau
Elba Ramalho
Alceu Valença

18 de Janeiro de 1985

250 mil pessoas

Queen
Go Go's
The B-52's
Lulu Santos
Eduardo Dusek
Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens

19 de Janeiro de 1985

250 mil pessoas

AC/DC
Scorpions
Ozzy Osbourne
Whitesnake
Baby Consuelo e Pepeu Gomes

20 de Janeiro de 1985

200 mil pessoas

Yes
The B-52's
Nina Hagen
Blitz
Gilberto Gil
Barão Vermelho
Erasmo Carlos


Fontes:
http://www.cactusmusic.com.br/cartaz.
http://pt.wikipedia.org/texto.