Se tu Viesses Ver-me Hoje à Tardinha



Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus barcos...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...

Florbela Espanca

4 comentários:

Lindo este poema!

Mais uma ótima escolha sua.

E eu, ao ler, viajei nos meus
devaneios tolos - ou não - do amor.

=)

Beijos! Espero sua visita.

Élida Lima disse...

Sempre Amei estas palavras tão bem colocadas pela Florbela!
Simplesmente Lindas!!!
Que lindo instante você me permitiu agora, minha querida... Fica em paz e com DEUS... Beijo Imenso No Coração!!!

Élida Lima.

Kátia Ruivo disse...

um poema pra viajar...delícia, ainda não conhecia.

carol disse...

Florbela dispensa comentários...
Lindo!

bjos meus