Lágrimas




Lágrimas cruéis
Queimam minha alma
Lágrimas cruéis
Acompanham meus lamentos

Dias e noites eu sofri
Ouvindo choros, canções tristes
Várias pessoas eu vi
Mortas para o sol, acorrentadas na dor

As noites foram piores.
Rios de lágrimas quentes
Escorrendo pelas estradas das angústias
Turvando o brilho da lua

Então eu que assistia tudo chorei
Chorei pelos homens, pela humanidade
Chorei pelas crianças e meu coração sangrou
Sangrou até morrer de dor, chorei...

Minha alma ficou perdida,
Neste mundo de horrores
Minha alma morreu para o sol
Está acorrentada em todas as dores


Camila Lages

2 comentários:

Olavo disse...

Estou em um momento que me cabe perfeito o poema..
Beijos

Guilherme disse...

Oieee,
Gostei do poemas, apesar de triste mas significativo.
Muitas vezes as lágrimas são manifestações de que o corpo senti de tão maneiro que não consegui aguentar a veravidade com que a vida nos consome, e então ele transborda e acabamos chorando... mas que não realidade esse choro serve mesmo que com outras tristes, serve para nos lavar a alma, porque o dia de amanhã é sempre diferente, e por mais que queiramos mudar o mundo... precisamos mudar a nos mesmo e entender que somos sobreviventes, senão somos devorados pela sociedade.
Espero que esteja bem !
Cuide-se
beijos