À Espera

Garrafas de vinhos vazias,
Fotos e cartas pelo chão,
Necessidade de teu calor,
Quando isso irá acabar...
À espera
Ansiosa e perturbadora
De teus beijos e abraços,
Enfim de teu calor...
Tão juntos e tão separados,
Nossos corações estão enlouquecendo.
Sua voz acalma meu ser,
Porém aumenta minha ansiedade de ter-te...
Sua existência ilumina meus dias
Com um leve toque de tormentos,
A distância que nos separa
Não irá separar nossos corações...
Sonho com o momento em que acordarei ao teu lado
E que irei dizer eu te amo, olhando em seus olhos.
Mas enquanto esse momento não chega
Sofro com essa maldita espera...
Gylvian Ayala

1 comentários:

Olavo disse...

Chegando é o que importa..
Bjs