Desabafo


Vou desabafar um pouco neste post . Eu sei que as pessoas vêm aqui com outras finalidades e não saber o que se passa comigo, mas mesmo assim vou escrever! Ontem completou quatro anos da minha mastectomia e por si só já um péssimo dia para recordar. Mas olhando por outro ângulo hoje vejo de forma mais clara como sabe ser e egoísta o ser humano.

Nesta doença e na minha cirurgia tive apoio total da minha família e de amigos de verdade que me ajudaram em todas as horas e ainda continuam a ajudar. Uma preparava um consume de legumes e me levava a noite para jantar, já que por deprimida não estava comendo nada. Um amigo me levava ao medico todos os dias à tarde para fazer o acompanhamento da cirurgia, outra amiga me levava livros de suspense policial para que eu lesse sempre e assim me distraísse. Mas obtive este apoio dos amigos, que conto com os dedos da mão.

Hoje depois destes quatro anos, percebo o quanto eu sou ingénua em ainda me iludir com as pessoas que me cercam e se dizem amigas. A humanidade é boa, eu que não sei me impor. Deve-se dar limites aos outros e viver determinando sempre até onde se envolver com alguém. Pois elas te usam e depois quando não precisam mais te largam e viram a cara para você. Eu sempre procuro ser presente nas necessidades e quem é meu amigo de verdade sabe que estarei ali sempre para apoiar em qualquer situação. Mas como diz um ditado popular: Quanto mais conheço as pessoas mais amo meu cachorro.
Bem é só isso,

Elaine

5 comentários:

Val disse...

e eu q nem cachorro tenho? oq faço? tenho um passaro q gosta so de mulher....

mas ate hj vc nao me fala dos exames.... :(


nao se isole tbm!! Lembra q tem gente4 q ta sempre com vc, fisica ou virtualmente...


bjus

Elaine disse...

Olá!
Eu sempre quero saber de você, tá?
Mas sou obrigada a concordar com o lance do cachorro.
Mas é que eu sou meio cachorro, você sabe, né? rsrsrs
Beijos, querida.

Gomorra disse...

Concordo com a frase do cachorro, mas não acho que as pessoas são excluídas neste comentário não... Sou daqueles que dão chance, tenho uma estranha tendência à humilhação voluntária e intencionada...

Quanto á data, por mais que pareça uma lembrança ruim e cheia de amarguras, creio que o saldo é muito positivo: estás viva, bem, bonita e cercada de (se não amigos de verdade) familiares queridos e um cão simpático. Talvez baste!

Fique bem,

WPC>

Elaine, não pense nas pessoas que te usam e abandonam, pois não são nem nunca serão teus amigos. Pensa naquelas que estiveram contigo, pois ainda que algum dia elas se vão algo ficou em ti. Beijos, te cuida e se tiveres apenas um Amigo, já terás encontrado um grande Tesouro.

Guilherme disse...

Hum resolvi comentar nesse seu momento de revolta.
Sabe, as vezes não vale a pena querer entender o ser humano, seria perda de tempo tentar entender suas atitudes e os "porques" independentemente do que aconteceu, não pense no outro como frustação de uma vida, mas sim no que vc se doou, no que pode oferecer ao proximo... fez sua parte encare-a como uma conquista pessoal.
Mas sempre tenha a disposição de aprender com isso, algumas pessoas acham que somos como um terreno baldio e que podem jogar seus lixos em nosso coração, mas na verdade somos territorio sagrado, e temos que pensar assim, somente deixar adentrar as pessoas que de fato sabem plantar e cultivar dentro de nos uma semente de amor... é assim que deve ser... não seja um terreno baldio para que as pessoas a usem dessa forma... seja como um grande jardim florido, esperando alguém para cultiva-lo.
Não fique assim, como eu disse fez sua parte... e a vida continua.
beijos