Novela Um Amor em París







Chapitre - VII - Sem Você.


Lucy não sabia como lidar com aquele turbilhão de sentimentos. Ela o amava e teria que continuar a vida sem ele. Parecia que o conhecia a séculos, e cada gesto ou olhar não preciava de palavras para que ela o compreendesse. Seu coração não bateria com aquela intensidade, e seus músculos e pelos não se comportariam mais como se comportavam com sua presença. Ela não estava apenas triste, era algo maior, pois era muito profundo e fazia com que ela sentisse uma tristeza que nunca havia sentido o que lhe resto foi ensinar que era uma grande paixão para sua vida. Os dias foram passando e a vida tinha se tornado uma rotina da casa para universidade e vice-versa.

Não tinha mais tido notícias de Pierre, e não tinha nenhuma forma de contato a não ser o telefone que ele havia lhe dado. Passado algumas semanas, e numa manhã de domingo o seu telefone tocou mas ela como estava no banho, não ouviu a chamada. Quando saiu ainda enrolanda na toalha e procurando uma langerie para vestir, viu o número em chamada perdida. Seu coração começou a bater forte e suas mãos a tremer e a ansiedade de saber se retornaria ou não a ligação lhe fez sentir uma leve tontura, mas logo se recompôs emocionalmente. Ficou a imaginar o que falaria se retornarsse ou o que responderia caso ele voltasse a ligar. Passaram alguns minutos, que pareciam horas e o telefone voltou a tocar. Ficou paralizada olhando aquela luz brilhando e o nome da chamada com o numero dele logo abaixo. Então resolveu atender, no principio tremia bastante mas ouvir o som de sua voz foi como se nada tivesse acontecido.

Pierre continuava a falar de forma mansa e carinhosa, sua maneira de fala era quase como um carinho. Ela pensou rápido e resolveu não questionar sua atitude do último encontro deles, e a forma como ele se despediu, foi embora e não mai lhe deu notícias. No principio o papo foi sobre Roma, como estava o clima, com tinha sido estes dias e se o trabalho foi tão gratificante quanto os outros, já que este país tem uma verdadeira mina de ouro em relação a artes em geral e artes datadas de milhares de anos. Ele respondeu todas as suas perguntas e sempre muito gentil e cortês.

Em meio a conversa agradável dos dois, ele a conviou para almoçarem jontos em um lugar bonito, co uma deliciosa comida e uma linda paisagem. Lucy não sabia o que responder. Seu coração aos pulos queria dizer que sim, mas a sua razão ficava a pensar se este não seria um caminho arriscado a serguir, não queria mais
sofrer.


Elaine Crespo©

Copyright-2011(Direitos Reservados)
Para ler Um  Amor em Paris (Click Aqui)

2 comentários:

ROSA LUNA disse...

Elaine, estou acompanhando ...ah deixa eu sonhar...foi tão bonito o encontro..o fato dele sumir uns dias, não poderia atrapalhar mais uns dias felizes ...ele parece tão bom... espero o próximo rsrsrs

Gosto muito do seu blog - Um amor em Paris é legal - Amar é correr riscos - Uma certa oportunidade poderá ser a única - Não dá pra vacilar...